sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Profeta Gentileza






Recentemente a Edna colocou no blog dela dois posts muito legais, um sobre a igreja de São Francisco de Assis em BH e outro sobre a cidade de Sabará (MG). Achei uma boa idéia mostrar um pouco do lugar onde a gente mora, vou ver se de vez em quando posto algo assim.

Coloquei este selinho "gentileza gera gentileza" no meu blog, uma expressão muito conhecida na cidade do Rio (e em Niterói, onde moro) mas talvez outras pessoas que passem por aqui não conheçam essa história. Com a ajuda da Wikipédia, aí vai um pouco do que está por trás dessas palavras.

José Datrino
, chamado Profeta Gentileza, tornou-se conhecido a partir de 1980 por fazer inscrições peculiares sob um viaduto no Rio de Janeiro, onde andava com uma túnica branca e longa barba. A partir de 1980, escolheu 56 pilastras do Viaduto do Caju, numa extensão de aproximadamente 1,5km, e encheu as pilastras do viaduto com inscrições em verde-amarelo, propondo sua crítica do mundo e sua alternativa ao mal-estar da civilização. Ele faleceu em 1996 e, com o decorrer dos anos, os murais foram danificados por pichadores, sofreram vandalismo, e mais tarde cobertos com tinta de cor cinza. O apagamento das inscrições foi criticado (Marisa Monte canta sobre isso em sua música "Gentileza") e posteriormente, com ajuda da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, foi organizado o projeto Rio com Gentileza com o objetivo de restaurar os murais das pilastras. Começaram a ser recuperadas em janeiro de 1999, e em maio de 2000 a restauração das inscrições foi concluída e o patrimônio urbano carioca foi preservado. O ator Paulo José viverá o Profeta Gentileza na nova novela das 21h da rede Globo, "Caminho das Índias", da escritora Glória Perez, que abordará, entre outros temas, a loucura em seus vários aspectos, inclusive o social.

Eu me lembro bem dele, sempre o via perto dos viadutos quando o ônibus engarrafava a caminho da faculdade. Às vezes eu ficava lendo as coisas que ele escrevia enquanto o ônibus não andava. Ele de fato se tornou uma figura folclórica aqui no Rio.

Alguns o achavam louco, outros o achavam um "profeta", eu só sei que pelo menos numa coisa eu acredito: gentileza gera gentileza!

Um comentário:

Vanessa B.M. disse...

Também acredito nisso: gentileza gera gentileza! Como li num livro hoje de manhã: "(...) toda relação no universo se estabelece em bases de sintonia." Tudo que se parece, tende a se aproximar.
Bjs.

Leia também:

Related Posts with Thumbnails