sábado, 15 de janeiro de 2011

Utilidade pública - vamos ajudar?

Pessoas queridas, sei que estou devendo trocentas visitas, trocentos emails, ainda nem consegui um tempinho para me inscrever na promoção da minha amiga So (Artes Criativas), gostaria também de postar uns crafts para vocês e, além de tudo, estou hoje em outra cidade e com uma conexão de internet precária, mas dei um jeito de sentar aqui para divulgar dois links.


O primeiro é para a galera de NITERÓI: neste link AQUI tem uma lista dos postos de arrecadação de donativos, além de outras informações.


E este link AQUI, não menos importante (na minha humilde opinião), tem informações sobre como podemos ajudar os animais desabrigados - não somente gatos e cachorros mas também cavalos e outros animais de sítios, muitos deles bastante machucados.


Me lembro como se fosse ontem da tragédia que vi acontecer a poucos metros da minha casa no ano passado, das histórias tristes que ouvi de pessoas conhecidas, me lembro de ver Niterói em um estado de destruição como eu jamais havia visto nos mais de 30 anos em que moro aqui. Não consigo imaginar sofrimento pior, e no entanto sei que a gravidade do que aconteceu aqui não chega a um centésimo do que está acontecendo na região serrana neste momento. É muito triste.


Vamos ajudar como pudermos e seguir em frente. Que possamos todos fazer nossa vida valer a pena e preenchê-la de significado.


E aí vai um pouquinho de inspiração, para elevar nossas almas em meio a tanta tristeza:



"O correr da vida embrulha tudo, 
a vida é assim: esquenta e esfria, 
aperta e daí afrouxa, 
sossega e depois desinquieta. 
O que ela quer da gente é coragem. 

O que Deus quer é ver a gente 

aprendendo a ser capaz 
de ficar alegre a mais, 
no meio da alegria, 
e inda mais alegre 
ainda no meio da tristeza! 
A vida inventa! 
A gente principia as coisas, 
no não saber por que, 
e desde aí perde o poder de continuação
porque a vida é mutirão de todos, 
por todos remexida e temperada. 
O mais importante e bonito, do mundo, é isto: 
que as pessoas não estão sempre iguais, 
ainda não foram terminadas, 
mas que elas vão sempre mudando. 
Afinam ou desafinam. Verdade maior.
Viver é muito perigoso; e não é não.
Nem sei explicar estas coisas. 
Um sentir é o do sentente, mas outro é do sentidor."

A gente quer passar um rio a nado, e passa: 
mas vai dar na outra banda é um ponto muito mais em baixo, 
bem diverso do em que primeiro se pensou. 
Viver nem não é muito perigoso? 
Dói sempre na gente, alguma vez,
todo amor achável, 
que algum dia se desprezou...
Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, 
um descanso na loucura."
Guimarães Rosa
 Fragmentos do livro "Grande sertão Veredas"

8 comentários:

escargopotte disse...

Oi Dora, estava vendo pelo Record o que houve no Brasil, que tristeza, tanta gente desabrigada, quantos mortos, quanta coisa de uma vez so ... fico aqui com minhas oraçoes !
beijinhos

Lau disse...

Isa querida, infelizmente aconteceu denovo, né?!
To chocada e mto triste, mas daqui, vamos fazendo o que é possível...
O texto é lindo, obrigada por dividir!
BjO flor, bom fim de semana!!!

ANA REGINA disse...

Oi amiga!
Mais uma vez a natureza nos surpreende e nos torna a todos vulnaráveis. Tenho parentes por lá e ainda não sei notícias do meu tio.
O que resta agora e ajudar e fazer muitas preces.
Fique com Deus.

Izabel Biali disse...

Oi Isadora,

Tragédia terrível,se repete a do ano passado.
O que mais podemos fazer, e incluir nas nossas orações, para que seja amenizado o fofrimento destas pessoas, que perderam tudo e perderam todos.
Que continuem tendo fé em Deus, e volte tudo ao normal.
O texto é muito lindo.
Um bom fim de semana para você.
Beijo
Izabel

Luciana F. Damiano disse...

Ah Dora, é tão horrível tudo isso...dá uma dor no coração....como a gente é impotente perante a natureza!
Por aqui deve ter algum lugar arrecadando donativos, provavelmente os correios, vou verificar.
bj

Clemilde disse...

Lindo texto!
Ontem fiquei me perguntando o que Deus quer com isto. Acho que este texto responde: Muita coisa!
Já comecei ler va´rias vezes este livro, minha filha agora está conseguindo terminar. Vou ver se eu recomeço.

Beijos

APO (Bem-Trapilho) disse...

olá minha linda!
tem um bom domingo!
bjinho grande :)

Vanessa Biali disse...

Oi, Dora!
As cenas que chegam até nós são muito tristes mesmo.
Vi que a Cruz Vermelha está ajudando e que tem uma aqui perto de casa. Vou pesquisar para conhecer o trabalho deles.
Lindo texto do Guimarães Rosa! Não conhecia.
Beijos,
Vanessa

Leia também:

Related Posts with Thumbnails